OS EFEITOS DA CORRUPÇÃO SOBRE O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

Autores

  • Priscila Martinho da Costa AGU

Resumo

O presente estudo parte do cenário artístico italiano, o qual remete a antiga preocupação do cidadão em ser submetido à um bom governo, justo, bem como a visualização da relação de causa e efeito com o bem-estar da sociedade. Após, passa-se para a análise da corrupção tendo como premissa, ainda na Itália, da chamada operação “Mãos Limpas”, a qual descortinou uma intricada rede de corrupção, envolvendo diferentes setores da sociedade. A forma sistêmica em que organizada, conduz a uma atuação que tem a potência de realocar e reorganizar toda a máquina pública de acordo com sua lógica própria. Como decorrência direta desse viciado mecanismo tem-se como efeito devastador a vulneração de direitos humanos. O reconhecimento da importância dessa relação de causa e efeito alçou o debate como pauta das principais agendas dos Organismos Internacionais. A conjugação de esforços para o combate à corrupção, a fim de se proteger os direitos humanos, covardemente, violados é um importante caminho a se percorrer.

Biografia do Autor

Priscila Martinho da Costa, AGU

Procuradora da Fazenda Nacional-DIAFI/PGFN 3 Região. Pós Graduada em Direito Público pela Universidade Católica de Petrópolis. Pós Graduada em Direito Empresarial e Processo Falimentar pela Universidade Cândido Mendes. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

 

Publicado

2019-08-07 — Atualizado em 2019-08-07

Versões

Como Citar

Martinho da Costa, P. (2019). OS EFEITOS DA CORRUPÇÃO SOBRE O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. Publicações Da Escola Superior Da AGU, 11(2). Recuperado de https://revistaagu.agu.gov.br/index.php/EAGU/article/view/2526

Edição

Seção

ARTIGOS