MORADIA PARA A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA: DIREITO, MERCADORIA OU NEGAÇÃO DE EXISTÊNCIA?

Autores

  • Ana Paula Santos Diniz

Resumo

O presente artigo versa sobre o direito à moradia para a população em situação de rua. O objetivo consiste em analisar a questão da moradia como condicionante para o reconhecimento de existência desse grupo populacional enquanto sujeito de direitos, perpassando criticamente pela compreensão da moradia como direito e mercadoria. Esta problemática foi pensada devido ao processo de invisibilização que as pessoas em situação de rua estão submetidas, tanto perante a sociedade, o mercado e o poder público. A delimitação temporal é a atual conjuntura político-econômica neoliberal na qual predomina o capitalismo financeiro. A pesquisa considerou as políticas públicas de habitação em vigor no Brasil

Biografia do Autor

Ana Paula Santos Diniz

Doutoranda em Filosofia pela Universidade de Barcelona, Departamento de Cidadania e Direitos Humanos. Mestre em Direito pela Fundação Universidade de Itaúna. Professora na Universidade Estadual de Minas Gerais, Unidade Cláudio, MG

Publicado

2019-12-19 — Atualizado em 2019-12-19

Versões

Como Citar

Diniz, A. P. S. (2019). MORADIA PARA A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA: DIREITO, MERCADORIA OU NEGAÇÃO DE EXISTÊNCIA?. Publicações Da Escola Superior Da AGU, 11(4). Recuperado de https://revistaagu.agu.gov.br/index.php/EAGU/article/view/2637

Edição

Seção

ARTIGOS